Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009

O pedagogo e a responsabilidade social na empresa

Vale a pena conferir!

Miriam Pascoal, “por considerar que o pedagogo é um profissional necessário em todas as instâncias em que há ensino e aprendizagem”, reflete sobre “a existência de amplos campos de atuação pedagógica”, e traz para discussão “alguns sinais da adequação de seu trabalho profissional às empresas, na implementação do movimento Responsabilidade Social.”



Pascoal, M. 2008 Mar 31. O Pedagogo na Empresa e a Responsabilidade Social Empresarial. Educação: Teoria e Prática [Online] 17:29.
Disponível: http://cecemca.rc.unesp.br/ojs/index.php/educacao/article/view/1037/965

Língua Portuguesa

A língua portuguesa é uma língua românica que se originou no que é hoje a Galiza e o norte de Portugal. É derivada do latim falado pelos povos pré-romanos da Península Ibérica (Galaicos, Lusitanos, Célticos e Cónios), há cerca de 2000 anos. O idioma se espalhou pelo mundo nos séculos XV e XVI quando Portugal estabeleceu um império colonial e comercial (1415-1999) que se estendeu do Brasil, nas Américas, a Goa, e outras partes da Índia, Macau na China e Timor-Leste. Foi utilizada como língua franca exclusiva na ilha do Sri Lanka por quase 350 anos. Durante esse tempo, muitas línguas crioulas baseadas no Português também apareceram em todo o mundo, especialmente na África, na Ásia e no Caribe.
Com mais de 260 milhões de falantes, é, como língua nativa, a quinta língua mais falada no mundo e a terceira mais falada no mundo ocidental. Além de Portugal, é oficial em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e, desde 13 de julho de 2007, n…

Ao encontro de ou de encontro a

As expressões “ao encontro de” e “de encontro a” são diariamente faladas em jornais, revistas, artigos, em conversas telefônicas, e-mails, dentre outros. Contudo, só não são mais utilizadas pelas dúvidas constantes que geram no indivíduo: qual está correta? como empregá-las? qual o significado dessas expressões?


Para não haver mais imprecisão no uso das locuções em questão, devemos nos ater aos seus significados, mesmo porque possuem sentidos contrários. Vejamos:

Ao encontro de: tem significado de “estar de acordo com”, “em direção a”, “favorável a”, “para junto de”.

Exemplos: Meu novo trabalho veio ao encontro do que desejava. (Meu novo trabalho está de acordo com o que desejava.)

Vamos ao encontro de nossa turma. (Vamos para junto de nossa turma)

Essa lei vem ao encontro dos interesses da população. (Essa lei vem a favor, em direção aos interesses da população)

De encontro a: tem significado de “contra”, “em oposição a”, “para chocar-se com”.

Exemplos: Esta questão está indo …

Acerca de ou há cerca de

Na expressão “há cerca de” está inserido o verbo “haver” no sentido de tempo decorrido, sem saber o período com exatidão de dias, meses ou anos. Aproxima-se do sentido de “faz” quando também se refere a tempo. Na dúvida substitua o verbo “há” por “faz”. Observe:

Lembramos que a revolução ocorreu há cerca de meio século atrás. (faz cerca de)

Já o termo “acerca” ou a locução prepositiva “acerca de” têm significado de: “a respeito de”, “sobre algo”. Veja:

Falávamos acerca de sua resposta à professora.

Não falei nada acerca disso.
• Tampouco ou tão pouco
Tampouco significa “também não” e é advérbio. Geralmente, é usado na expressão “nem tampouco” para enfatizar o sentido de negação. Veja:
Não sei escrever esta palavra, você tampouco.
Não verifiquei se minha grafia está correta, nem tampouco a pontuação.
Tão pouco significa “muito pouco” e refere-se à medida (de tempo, de valor). Observe:
Faz tão pouco tempo que estamos trabalhando!
Que bom, o sapato que quero comprar custa tão p…

A ou Há?

Para saber se você deve usar “a” ou “há” apresentamos aqui algumas dicas para facilitar a eliminação de dúvidas a esse respeito:

• Usa-se “há” quando o verbo “haver” é impessoal, tem sentido de “existir” e é conjugado na terceira pessoa do singular.
Exemplo: Há um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo.

Existe um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo.
• Ainda como impessoal, o verbo “haver” é utilizado em expressões que indicam tempo decorrido, assim como o verbo “fazer”.
Exemplos: Há muito tempo não como esse bolo.

Faz muito tempo que não como esse bolo.
Logo, para identificarmos se utilizaremos o “a” ou “há” substituímos por “faz” nas expressões indicativas de tempo. Se a substituição não alterar o sentido real da frase, emprega-se “há”.

Exemplos: Há cinco anos não escutava uma música como essa.

Substituindo por faz: Faz cinco anos que não escutava uma música como essa.
• Quando não for possível a conjugação do verbo “haver” nem no sentido de “existir”, nem de “t…

Anexo ou em anexo

A palavra “anexo” indica que algo está ligado, ajuntado. E, neste caso, terá função de adjetivo, ou seja, concordará com o substantivo que o acompanha. Veja:
a) O documento está anexo.
b) As cópias estão anexas.
c) Envio carta anexa.
Há, em contrapartida, o uso de estruturas, tais como:
a) Segue em anexo.

b) Seguem em anexo, as planilhas de produção mensal.
Neste caso, observamos que existe uma vontade por parte do interlocutor de expressar o modo pelo qual algo está sendo enviado. Não podemos dizer que a expressão está errada, pois o verbo “segue” está sendo complementado por uma locução adverbial de modo.
Agora, se pretendo dizer que algo está indo dentro de um anexo, é melhor que diga “no anexo” ao invés de “em anexo”.
Exemplos: A carta segue no anexo.
Segue no anexo, o convite individual.
Nas orações acima temos o entendimento de que a carta e o convite estão dentro do anexo, ou seja, estão inseridos no anexo.
Já na oração: Segue o anexo solicitado, “o anexo” é um sinta…

Acordo Ortográfico

Após várias tentativas de se unificar a ortografia da língua portuguesa, a partir de 1º de janeiro de 2009 passou a vigorar no Brasil e em todos os países da CLP (Comunidade de países de Língua Portuguesa) o período de transição para as novas regras ortográficas que se finaliza em 31 de dezembro de 2012.


Algumas modificações foram feitas no sentido de promover a união e proximidade dos países que tem o português como língua oficial: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.

No entanto, não é necessário que haja aversão às alterações, pois são simples e fáceis de serem apreendidas! Além disso, há um prazo de adaptação que dá calmaria a todo processo de mudança!

Para tanto, o Brasil Escola apoiará as novas regras e irá promover a atualização dos textos para que os internautas possam se sentir mais confortados e ambientados com esse novo jeito de escrever algumas palavras!

A ABL (Academia Brasileira de Letras) dispõe de um link…

Crase

Temos vários tipos de contração ou combinação na Língua Portuguesa. A contração se dá na junção de uma preposição com outra palavra.


Na combinação, as palavras não perdem nenhuma letra quando feita a união. Observe:

• Aonde (preposição a + advérbio onde)

• Ao (preposição a + artigo o)

Na contração, as palavras perdem alguma letra no momento da junção. Veja:

• da ( preposição de + artigo a)

• na (preposição em + artigo a)

Agora, há um caso de contração que gera muitas dúvidas quanto ao uso nas orações: a crase.

Crase é a junção da preposição “a” com o artigo definido “a(s)”, ou ainda da preposição “a” com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquele(s), aquilo ou com o pronome relativo a qual (as quais). Graficamente, a fusão das vogais “a” é representada por um acento grave, assinalado no sentido contrário ao acento agudo: à.

Como saber se devo empregar a crase? Uma dica é substituir a crase por “ao”, caso essa preposição seja aceita sem prejuízo de sentido, entã…

Senão ou se não?

Veja:

Se não der para você vir, não tem problema.
Caso não dê para você vir, não tem problema.

As duas orações acima não têm o mesmo sentido?

Agora, observe:

O que é isso, senão uma briga?
O que é isso, caso não uma briga?

A substituição feita acima de “senão” por “caso não” foi insatisfatória, pois não ficou coerente, não tem sentido!

Logo, percebemos que “se não” e “senão” NÃO possuem o mesmo significado, uma vez que não podem ser substituídos pela mesma expressão.

Use “se não” (união da conjunção se + advérbio não) quando puder trocar por “caso não”, “quando não” ou quando a conjunção “se” for integrante e estiver introduzindo uma oração objetiva direta: Perguntei a ela se não queria dormir em minha casa.

Use “senão” quando puder substituir por “do contrário”, “de outro modo”, “caso contrário”, “porém”, “a não ser”, “mas sim”, “mas também”.

Veja alguns exemplos:

a) Você tem de comer toda a comida do prato, senão é desperdício. (de outro modo)
b) Se o clima estiver bom v…

"De maior" ou "maior de idade" ?

É muito comum ouvir construções sintáticas do tipo: "Paulo é de maior". Mais comum ainda é ouvir pessoas irritadas corrigindo: "de maior não, o certo é maior de idade": "Paulo é maior de idade".

O fato é que a mesma pessoa que diz: " Paulo é maior de idade" também diz: "Paulo é maior" e não "Paulo é maior de tamanho", ou seja, cognitivamente esse falante contrapõe a forma "maior" entre tamanho e maioridade:

maior (tamanho) X maior de idade (maioridade)

Nessa gramática a maioridade é indicada pela construção sintática em que "maior", que indica elevação, é um termo subordinante ao qual a locução "de idade", que indica idade, é subordinada.

A mesma contraposição ocorre na gramática do falante que diz:

"Paulo é de maior"; porque também diz: "Paulo é maior":

maior (tamanho) X de maior (maioridade)

A diferença é que nesta gramática, "maior" é um termo que, quando preposic…

meio-dia e MEIO ou meio-dia e MEIA

O almoço será ao meio-dia e MEIO ou meio-dia e MEIA?


Se você acorda às seis e MEIA, sai de casa às sete e MEIA, chega ao trabalho às oito e MEIA, vai tomar um cafezinho às nove e MEIA, volta para trabalhar às dez e MEIA e vai almoçar às onze e MEIA, duas certezas eu tenho: a primeira é que você trabalhou muito pouco e a segunda é que você falou corretamente a manhã inteira.

A dúvida “meio-dia e MEIO ou MEIA” só aparece durante o almoço. Talvez seja a fome! Isso porque, depois da sobremesa, tudo volta ao normal: uma e MEIA, duas e MEIA, três e MEIA etc.

Portanto, não há dúvida alguma. O certo é “meio-dia e MEIA”, porque é “MEIA hora”.

A palavra MEIO, quando significa “metade”, é um numeral fracionário; por isso deve concordar com o substantivo a que se refere. Você come MEIO limão, porque limão é palavra masculina; mas come MEIA laranja, porque laranja é feminina.

Observe mais exemplos: “Bebeu um litro e MEIO de água” (=um litro + MEIO litro); “Bebeu uma garrafa e MEIA de refrigerante”…

Uso do Porque

Por que
No começo de frase interrogativa ou no meio de frase afirmativa no sentido de: por qual motivo, etc.
Exs.: Por que ele fez isso? – (frase interrogativa)
Não importa por que ele fez isso. – (o mesmo motivo pelo qual)

Porque
Em frases afirmativas indicando causa.
Ex.: Eu não vou à festa porque estou doente.

Porquê
Substantivo, sempre precedido do artigo o .
Ex.: Não sabemos o porquê de tanta confusão.

Por quê
No final da frase, perto do ponto final ou de interrogação.
Ex.: Por quê? Não sei a razão nem por quê.

Pedagogo

Pedagogo é o profissional formado em Pedagogia, o qual atua em processos pedagógicos, e também educativos ou seja, processos relacionados com o ensino. Ele pode atuar inclusive em empresas, desenvolvendo projetos educativos. Trata-se de um indivíduo preparado para desenvolver um trabalho de educação com qualidade de acordo com todo o conhecimento que o mesmo adquiriu em sua faculdade e em cursos, levando sempre em consideração a legislação vigente. O trabalho do pedagogo está intimamente relacionado com o do professor, operacionalizando projetos, métodos e sistemas pedagógicos das instituições escolares, visando o desenvolvimento do processo de aprendizagem, assim como, identificando as dificuldades dos indivíduos, desenvolvendo práticas e didáticas pedagógicas, sempre mantendo um nível elevado de conteúdo educacional.


FUNÇÕES E ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO

Para que o pedagogo exerça de forma satisfatória as suas funções, ele deverá trabalhar de maneira determinada, para que possa i…